Uma das coisas mais importantes para os guitarristas – principalmente os que querem se destacar no mercado – é, sem dúvidas, a criatividade. Mas será que é possível desenvolver essa habilidade ou ela está no DNA de alguns seres humanos escolhidos por divindades? 🤔

Infelizmente, não é comum vermos cursos sobre criatividade na guitarra. É uma pena, pois isso deveria estar na grade de aulas de qualquer escola de música, pois é isso que, de fato, diferencia os guitarristas que conquistaram maior destaque.

Se você for um guitarrista musical e criativo, suas chances de ser notável será muito maior. E falo isso como editor da Guitarload por quase 10 anos.

Guitarristas técnicos tem aos montes e nos impressionam apenas por suas técnicas. Mas o criativo! Ahhhh… Esse sim toma a atenção de toda a redação da revista e eu tenho certeza que dos que os ouvem tocar também.

A boa notícia é que você também pode desenvolver a criatividade. Ela está ao alcance de todos e neste post coloquei algumas dicas que considero muito importantes. Bóra?

 

1) Aprenda teoria musical

Decidi começar por esse tópico pois ele pode ser controverso, já que existem incontáveis músicos criativos que não sabem teoria musical. Mas o fato é… Será que se soubessem haveria algum bloqueio criativo? Com certeza não.

A teoria musical é uma grande aliada se você quiser aguçar a sua criatividade. É como você juntar emoção com a razão. O resultado só pode ser incrível!

 

2) Domine muitas (ou todas as) técnicas na guitarra

Assim como no tópico acima, essa pode não ser uma regra, mas o é fato que, quanto mais “ferramentas” você tiver em mãos, mais fácil será executar o que vem a sua mente.

É como se um artista quisesse pintar um arco íris tendo uma única cor de tinta. A obra pode ser feita, porém, com limitações.

Leia também o nosso tópico sobre Técnicas essenciais de guitarra solo.

 

3) Repertório: Alimente sua biblioteca mental

Preste atenção!

Tudo… absolutamente tudo o que é depositado em sua mente, pode ser usado para desenvolver a sua criatividade. Ou seja, quanto mais músicas, solos, licks e riffs você souber, mais possibilidades de criação você terá. Principalmente na hora do improviso.

E não apenas no âmbito musical. Livros, filmes e boas experiências ativam nossa imaginação e torna nosso cérebro cada vez mais fértil para a criatividade.

 

4) Não seja preconceituoso

Não há problema algum você gostar de um estilo musical e querer ser o melhor nele. Mas caso você queira ser um criativo nessa área você também pode beber de muitas outras fontes.

Consuma música de outros estilos e instrumentos. Ouça músicas regionais (de outros estados e países). Vá além! Estude essas músicas e retenha o que pode fazer sentido.

 

Curtindo o post? Temos muito mais!

Junte-se aos mais de 8 mil músicos que recebem nossos conteúdos

 

Agora vamos sair do “modo passivo”, onde sua mente apenas recebe, e vamos ao “modo ativo”, onde você age!

 

5) Crie para ser criativo

Pode parecer óbvio, mas poucos guitarristas separam um momento para criar.

Cuidado para não ficar apenas improvisando sobre backing tracks sem pensar ou analisar o que está tocando. Isso pode ser divertido, mas ao mesmo tempo “perigoso” se você quer se tornar um guitarrista criativo.

Tente ser o mais original possível ao criar seus próprios riffs, licks, solos, músicas ou levadas.

 

6) Primeiro sinta, depois pense e então aplique

Essa ordem é muito importante. Não é difícil nos pegar invertendo a ordem, principalmente em situações de improvisação. Tendemos a executar o mais fácil naquele momento: Às vezes uma única escala; às vezes em uma única região; às vezes uma única técnica; e por aí vai.

“Ouça” a sua emoção e tente forçá-la a ser mais criativa ultrapassando o simples. Depois pense como aplicar e então toque!

Aqui vale um reforço: Entende por que dominar a teoria musical, diversas técnicas e ter um vasto repertório (tópicos citados acima) são importantes? 

 

7) Registre TUDO

Não é difícil encontrar entrevistas com os maiores guitarristas do mundo dizendo que têm registro de milhares de músicas, riffs ou licks.

Isso é muito importante por alguns motivos:

  1. Você não perde nenhuma ideia e as vezes ela pode ser genial.
  2. Você pode revisitar várias ideias para repensá-las se necessário.
  3. Você pode selecionar as melhores para usá-las em, quem sabe, um álbum autoral.
  4. Uma ideia pode se conectar incrivelmente a outra ideia já registrada.

 

E por aí vai…

Dica: Algumas ideias podem surgir em situações onde você nem está tocando. Pegue o seu celular e tente solfejá-la. Mas não deixe de registrar.

 

8) “Toque guitarra” sem a guitarra

(Estou ficando bom com os subtítulos, né? 😅)

Você pode exercitar muito a sua mente se ficar imaginando licks ou solos em cima de backing tracks, ou até mesmo riffs e levadas em cima de um trilha de bateria (sem outros instrumentos).

Isso porque, suas limitações físicas (a técnica por exemplo) não vão bloquear a sua criatividade.

Este é o tópico que eu mais gosto! Por que se você fizer esse exercício, você vai descobrir o poder da mente e vai perceber que você também é criativo.

Após isso tente passar suas ideias para o instrumento. 

 

9) Cuidado com os bloqueios emocionais

Não seria possível se aprofundar muito nesse tema, mas tenho algumas dicas especiais.

Acredite em você

Foque em pensar que a criatividade é uma habilidade que pode ser desenvolvida. Não desista e seja constante.

Opinião alheia

Cuidado ao espalhar as suas primeiras ideias. Você pode fazer isso, mas tenha em mente que pode não gostar da opinião dos outros.

Ansiedade

Sem dúvida, um dos maiores vilões da criatividade. Faça, pare, respire e prossiga. Se você sofre de ansiedade, vale a pena procurar um tratamento.

 

Eu espero que você tenha gostado do post. Se sim… Nos ajudaria muito se você compartilha-se com amigos ou nas redes sociais. Isso nos dá cada vez mais motivação para trazer os melhores conteúdos para você.

Grande abraço e até a próxima!